Saúde e DDHH
19/01/2011
Sepe teve audiência com o secretário estadual de educação


Os coordenadores gerais do Sepe tiveram a primeira audiência de 2011 com o secretário Wilson Risolia hoje pela manhã, na sede da Seeduc. Vários temas foram discutidos, mas, infelizmente, Risolia praticamente não concluiu nenhum deles, apesar de afirmar que irá analisar todos as reivindicações. Em relação aos salários da categoria e aos investimentos no setor, o secretário concordou que os profissionais recebem um salário baixo – conclusão, convenhamos, fácil de se chegar... -; mas não aceitou a crítica de que os investimentos são baixos e citou o novo plano de metas como uma espécie de “salvação” da educação.



A verdade é que o plano foi lançado com todo o estardalhaço na mídia, mas na prática os investimentos não serão aumentados, e ficarão em 2011 em torno do mesmo valor do ano passado: R$ 140 milhões. Aliás, o gasto previsto para o plano de metas (R$ 140 milhões) é menor do que o que foi investido com o Nova Escola, que no seu auge chegou a R$ 200 milhões. Dessa forma, oplano de metas foi lançado pelo governo tendo em vista a melhoria da posição do estado do Rio no Ideb, mas a manutenção do mesmo patamar de investimento em 2011 desmente essa intenção. Como melhorar a educação mantendo o mesmo investimento, que é considerado pequeno pela maioria dos especialistas do orçamento do Rio?



O Sepe realiza no dia 12 de fevereiro, às 10h, no auditório da ACM, uma assembleia geral da categoria. Será a primeira do ano e muito importante, pois os profissionais de educação discutirão a linha geral de mobilização da categoria em 2011. A seguir, um resumo do que foi discutido na audiência com Risolia:



1)       Auxílio-transporte: o secretário informou que será pago a todos os profissionais a partir de março – não deu detalhes do valor;



2)       Auxílio-qualificação: será um abono de R$ 500 por semestre pago somente aos professores da ativa. O primeiro deverá sair em abril, como um cartão pré-pago bancário.



3)       Licença prêmio: o Sepe denunciou que a Seeduc não está concedendo aos profissionais esse direito – Risolia disse que irá analisar o assunto;



4)       Abonos das paralisações: o sindicato cobrou o abono de diversos dias paralisados – o secretário vai analisar o pedido;



5)       Abono do dia 1º de novembro de 2010 – o secretário vai analisar o pedido;



6)       Animadores culturais: segundo Risolia, a Procuradoria Geral do Estado considerou inconstitucional a PEC que regulariza a situação desse setor. Para o Sepe, o governo quer acabar com o segmento, mas o secretário informou que vai analisar o problema e dará uma resposta ao sindicato;



7)       Conexão Professor: Risolia informou que não haverá retaliação de qualquer espécie ao professor que não preencheu os dados;



8)       Licenças médicas: o sindicato reivindicou que a Seeduc aumente o prazo de licença, que hoje é de 120 dias – o secretário vai analisar o pedido;



9)       Lotação em uma só escola: os novos concursados têm sido lotados em mais de uma unidade; o Sepe reivindicou que eles sejam lotados em apenas uma unidade.


Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do RJ
Endereço: Rua Evaristo da Veiga, 55 - 8º andar - Centro - Rio de Janeiro/RJ
Telefone: (21) 2195-0450